10/06/13

Porque sim!

– Como te chamas? – perguntou-lhe uma voz.
– Paula Cristina.
– E o que fazes aqui?
– Porque queres saber? – Paula levantou as sobrancelhas.
– Porque sim! – justificou Rafael.
– Porque sim, não é resposta.
– Só se não for para ti. Sempre que pergunto à minha mãe, porque é que não posso ir a uma festa, a resposta é: «porque sim!».
Sim, sim, está bem, mas «sim» de mãe é outra coisa. É para pôr termo à discussão.
Sim, lá nisso tens razão.
 
Quita Miguel, 53 anos, Cascais


Sem comentários:

Publicar um comentário