25/09/13

Que rumo?

E agora, qual é a cor que define o meu rumo? Se tentar saber o caminho certo deixou-me estática, deverei voltar para trás? Estou em imóvel interrogação. Encontrar este círculo azul aumentou a minha calma, mas ampliou a melancolia também. Se preciso mesmo de escolher onde mergulhar, então rastejo até ao sonho vermelho para encontrar o calor que preciso. Há perguntas que nos deixam demasiado parados. Apesar das dúvidas azuladas, prefiro descobrir respostas encarnadas, cheias de mim.

Clara, 37 anos, Agualva, Sintra 

Desafio nº 51 – sobre uma imagem de Francisca Torres

Sem comentários:

Publicar um comentário