18/05/15

Incertezas

Foram quarenta e dois meses de desconforto e desacatos. Sensatos, reconhecemos que a dor era de todos…! Num clima de tristeza, decido voltar. Não entendo a razão deste conflito, interrogo-me com certo receio. É preciso coragem… acreditar e seguir em frente!
A humanidade está rodeada de incertezas fugazes que ultrapassa e sobrepõe a qualquer verdade no sentido da palavra. Cruel destruição em cada peito mora a fúria da ambição que os cérebros dominam. Abençoada luz da vida!

Prazeres Sousa, 52 anos, Lisboa

Desafio RS nº 25 – dedos que batem no vidro (cena)

Sem comentários:

Publicar um comentário