22/05/15

O que eu preciso...

Tens graça quando dizes que nunca é tarde para aprender. Com esta idade e cega, o que preciso é de amenizar a solidão. Qual braille, qual quê? A Luisinha foi para a praia, o Pedro está a trabalhar, a Rita anda de namoro com o pintor e a Marta e a Teresa estão deprimidas, para não variar. Minha querida, burro velho não aprende línguas e o que eu preciso é dos beijos e abraços dos meus filhos.

Paula Dias, 50 anos, Lisboa

Desafio nº 90 – com provérbios contraditórios

Sem comentários:

Publicar um comentário