23/06/15

Benilde

Benilde sonhara ter uma bela vida. Não foi bafejada pelo destino. Agorabebia cada vez mais. Batera já no fundo. Barnabé nunca a amara bondosamente. A vida era brutal. A pancadaria era bitola. Apegada àquele desamor, Benilde acreditava que a besta, um dia mudaria. Bem se enganara… Deprimida, bebia, julgando, conseguir sobreviver. Batalhava num mundo a brinda-la com tanta infelicidade. Barnabé conseguiu, finalmente, assassinou-a brutalmente. Um último olhar bradou a sua dor. Benilde jazia no chão, brutalizada.

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada                             

Desafio RS nº21 – de 3 em 3 plvrs 1 começada em B