27/10/15

Assombro dos assombros

A tristeza inundava-lhe os dias, a vida, a existência, num frio de morte. Ousara ser frontal, vertical. Princípio inalienável. Assombro dos assombros, foi punida por tal desfaçatez por quem a alienava, enganava, subjugava e, também, quem se submetia servil e subserviente. Mentiram, difamaram, perseguiram-na, isolaram-na, para pagar pela ousadia. Só que a sua coragem abriu a consciência de outras pessoas e tornou-se numa enorme corrente de solidariedade, tal como a gota de chuva que acaba numa poça.

Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 52 anos, Coimbra

Desafio nº 91 – cena metafórica de gota de chuva que acaba numa poça

Sem comentários:

Publicar um comentário