23/10/15

Vida de palhaço

Vida dura a de palhaço! Mas as contas ao fim do mês não perdoavam. Criar os irmãos, cuidar de uma Mãe doente obrigavam-no a isso.
Nunca esquecera aquela noite em que as estrelas se apagaram e a escuridão invadira a sua alma. A Mãe, a morrer, entregue aos irmãos para ele trabalhar. Arrancara a máscara deixando fugir as lágrimas. As palmas e as gargalhadas encheram a noite. Então, juntou-se ao público, rindo e chorando até se esgotar.

Isabel Lopo, 69 anos, Alentejo

Desafio ESCRTV nº 1 – um momento de riso!

Sem comentários:

Publicar um comentário