01 fevereiro 2016

Inexoravelmente

Sorriu sozinha, satisfeita. Nada mais havia a fazer. A sorte estava lançada, como se diz. Ou, ainda, "Inês é morta". 
Mas, pensando melhor..., se tivesse evitado que a impulsividade vencesse, teria contemplado a prudência. Realmente, não se deve agir assim. É preciso contar até dez ou até cem. O rio, a esta altura, continuava a correr, inexoravelmente.
Agora, restava apenas esperar que certas pessoas não notassem na internet as fotos - cinquenta e seis fotografias indiscretas que postara.

Celina Silva Pereira, 65 anos, Brasília, Brasil
Desafio nº 103 – 3 frases impostas por ordem


Sem comentários:

Enviar um comentário