26/11/17

Elsa Alves ― desafio RS 49

Hoje vi um computador deitado no lixo. Todavia o seu crânio de lata teve uma memória lá dentro, gigabytes dela! Não havia operação que não conseguisse fazer...  e aceitou versos no seu imaculado vazio virtual. Agora já não soma, nem subtrai, nem gera poemas, nem sublinha erros ortográficos. Os minúsculos pingos de solda, preciosos neurónios de metal, perderam toda a sua memória. «Companheiro, já que te antecipaste, diz-me como é não funcionar. E se a ferrugem dói...»
Elsa Alves, 69 anos, Vila Franca de Xira
Desafio Rádio Sim nº 49 ― operação


Sem comentários:

Publicar um comentário