26 junho 2018

Ana Pegado ― desafio 143


“Com o meu trevo da sorte, fujo a sete pés da morte!”, já dizia a minha avozinha. E naquele dia acredito que só me safei porque o meu trevo anda sempre no bolso do casaco. O bolso frontal, que fica perto do coração. Porque é o meu coração que precisa mais de proteção. Mais do que o cérebro, porque esse safa-se bem sozinho. Mas o coração mete-se em apuros e naquele dia meteu-se numa alhada das grandes.
Ana Pegado, 31 anos, Lisboa
Desafio nº 143 ― novo ditado popular

Sem comentários:

Enviar um comentário