10/09/18

Diário 77 ― 83 ― Verdade súbita Texto

Verdade súbita
Fez da escrita uma inspiração para os que decidiram, um dia, ler os seus livros. Falava na primeira pessoa, contando uma história de tal forma real que os leitores tomaram como biografia o que lhes oferecia. A nova verdade, a escrita, foi-se instalando em si como se fosse real, deixando-a sem armas para lidar com o quotidiano. Quando a campainha tocou, recebeu espantada o filho que nunca tivera, apenas ficcionara. Abraçaram-se. Morreu nesse instante, de verdade súbita.
Margarida Fonseca Santos, 57 anos, Lisboa
Desafio nº 149 ― ficção e realidade
OUVIR este texto aqui

Sem comentários:

Publicar um comentário