27/09/18

Diário 77 ― 97 ― Era tarde


Agora, que o dia chegava ao fim, apetecia-me gritar que tudo não passara de um desperdício! E de quem era a culpa? Minha, como sempre. Deixara-me levar pelas ideias dos outros, pela ideia que fazia dos outros, pela ideia que tinha sobre o que os outros pensavam de mim. Ignorei-me. Agora era tarde, o dia passara, a oportunidade também.
Sonhei? Nem hesitei… nem sonhei.
À minha frente, os sonhos dos outros ocupavam o meu espaço. Aprendi? Talvez…
Margarida Fonseca Santos
Desafio nº 22 – frase simétrica


Sem comentários:

Publicar um comentário