27/09/18

Mariana L. ― escritiva 36


Querido Matias,
Chegamos a um ponto em que tenho de te escrever esta carta. Já não vou omitir mais os meus sentimentos, temos de pôr um ponto final a isto.
O nosso amor é como um jogo, sempre que tento marcar um ponto tu defendes. Não entendo o teu ponto de vista. Às vezes és um ponto de interrogação, outras vezes apenas uma virgula. Vem ter comigo ao nosso ponto de encontro, veremos se isto vai resultar.
Mariana L., 14 anos, Esc Sec João da silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira
Escritiva nº 36 ― os «pontos» na história

Sem comentários:

Publicar um comentário