27/09/18

Tomás P. ― escritiva 36

No passado jogo de domingo, estabeleci um ponto de contacto entre a minha cabeça e o ombro de um dos jogadores da equipa adversária. Tive de ir para o hospital, levei quatro pontos. Mas nada a que não estivesse habituado!
Que dia péssimo! E perdemos o jogo! No meu ponto de vista, não foi merecido, contudo nem sempre ganha a equipa que joga melhor, mas, sim, aquela que marca mais pontos. Foi o ponto final deste dia.
Tomás P., 14 anos, Esc Sec João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira
Escritiva nº 36 ― os «pontos» na história

Sem comentários:

Publicar um comentário