12/01/19

Theo De Bakkere ― desafio 159

Face a face
No caminho para casa, gelou-se-me o sangue nas veias. Um homem desconhecido aproximava-se na minha direção. Realizei que me encontrava face a face com um fugitivo. A miséria estava cinzelada nos olhos e sua boca, ininteligivelmente disformada, era um grito de socorro. Dei-lhe dinheiro, embora soubesse bem que não o ajudaria com uma nota de cinco euros, apenas apaziguei minha consciência.
Há no mundo sessenta milhões fugitivos. Envergonhei-me, e levei-o ao asilo para um acolhimento mais caloroso.
Theo De Bakkere, 66 anos, Antuérpia, Bélgica
Desafio nº 159 – lutar por fazer a diferença

Sem comentários:

Publicar um comentário