22/04/19

Theo De Bakkere ― desafio 170


Paco, o condutor
Sentado ao lado do condutor devo engolir um sapo, o homem transpirava horrivelmente dos pés. Percebi agora porque colegas lhe davam o sobrenome Paco Rabanne. Coitado! Não tinha soca para usar cheiros caros, mas o fedor obrigava-o a usá-los, porém sua sudação continuava a fazer asco.
Com Poàs em mira, parou o carro ao pé da cratera. Aliviado, apeei-me da viatura e, apesar do cheiro de ar fosforífero do vulcão, dei uma soca de alívio no capô.
Theo De Bakkere, 67 anos, Antuérpia, Bélgica


Desafio nº 170 ― letras de Páscoa

Sem comentários:

Publicar um comentário