30/06/20

Margarida Fonseca Santos ― desafio 212


Um milagre guardado na esperança, foi assim que te senti quando chegaste, sorrateiro, e te instalaste no meu viver dorido, me ofereceste a tua amizade, o teu tempo para podermos perder-nos em conversas, num andar de segundos parado, vendo desfilar interesses comuns, sonhos partilhados, apaziguando mágoas que trazia dentro, crescendo então em nós a certeza da ausência de fim do que somos, mesmo se um dia apartados, nesses tão breves instantes entre a vida e o reencontro.
Margarida Fonseca Santos, 59 anos, Lisboa
Desafio nº 212 ― Frase de Valter Hugo Mãe

6 comentários:

  1. Bom dia de paz,querida amiga Margarida!
    Ficou muito linda.
    Parabéns pela prosa poética que apreciei muito!
    Tenha dias abençoados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  2. Lendo-te, senti à espreita, a outra de ti. A levar-me para a Esperança. E ainda bem. Adoro quando vais por aí.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi? ;) Pois, ando com esse livro às voltas dentro de mim ao escrever o próximo, que nem sei se será editado, só pelo prazer de ir a esse outro lado.
      Obrigada, minha querida, muito mesmo, um beijinho

      Eliminar
  3. Olá Margarida,uma linda emocionante historia amiga, que bem poderia ser embalada pela canção Valsinha de Chico Buarque de Holanda, creio que já ouviu. Ela diz assim:
    Um dia ele chegou tão diferente
    Do seu jeito de sempre chegar
    Olhou-a de um jeito muito mais quente
    Do que sempre costumava olhar...

    Bela sua criatividade amiga, como sempre uma inspiração para nós.
    Beijo.
    Enviei pelo e-mail.

    ResponderEliminar