20/05/15

Olhos e coração

Desde que te foste o velho coração bate forte, aliás, lamenta. Como um soluçar de dor.  Eu o compreendo, ao me apartar de ti, cada parte de mim, chora, chorou tua falta. O quarto azul que tu pintaste, onde, se achando (ou perdendo) no meio de mim, acordavas sempre murmurando “eu te amo”, é cinza.
Cortinas já não balançam. A vida inteira que foi nossa mudou de cor, aroma, som... Duvido... Longe dos olhos, longe do coração...

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil
Desafio nº 90 – com provérbios contraditórios
Publicado aqui: http://www.anezinha.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=5249749

Sem comentários:

Publicar um comentário