12 janeiro 2016

Um céu pouco azul

As pessoas estavam cansadas, raivosas, furiosas... Já não havia amor nos seus olhos, nenhum. Eles queriam lutar, mas tiveram que fugir... Era a sua morada. As portas fecharam-se permanecendo assim presos em terras alheias e vidas perdidas. A cada passo, tudo era mais pesado e o vento e a chuva batiam fortemente, no meio de uma névoa vermelha... O céu já não era azul e só alguns vieram à rua para vê-lo. É fácil fechar os olhos.

Lorena Garcés Santisteban, 24 años, valencia, España, prof Paula Pessanha Isidoro

Desafio Escritiva nº 3 – texto com: chuva, vento, amor, azul, vermelho e rua

Sem comentários:

Enviar um comentário