24/09/18

Ana Paula Oliveira ― escritiva 36


“Ponto de encontro: restaurante Ponto Final, 20h.”
SMS que lhe colocou um enorme ponto de interrogação: deveria aceitar o convite?
Decidiu-se. Teria de colocar os pontos nos is, não podia adiar mais.
Zélia não é mulher para dar ponto sem nó. Nem na costura nem na vida. Por isso mesmo, aquele encontro veio no ponto exato. Encheu-se de paciência para ouvir explicações e, quando quis atacar, não conseguiu. Limitou-se a bordar palavras em ponto pé de flor.
Ana Paula Oliveira, 58 anos, S. João da Madeira
Escritiva nº 36 ― os «pontos» na história

Sem comentários:

Publicar um comentário