23/09/18

Theo De Bakkere ― escritiva 36


A rosa-dos-ventos
Paciência nunca foi um ponto forte desse anterior ponto. Já dez em ponto muito passadas, estava a ponto de se ir embora, quando os estudantes chegaram ao ponto da partida. Guiar a tal ponto que tudo ocorreria convenientemente, devia pôr ponto à vozearia e imediatamente pôr os pontos nos ii. Ninguém o interrompeu.
Que estudantes exemplares, na sombra da torre de Belém, podia, ponto por ponto, discorrer com pontos e vírgulas sobre a rosa-dos-ventos e seus pontos.
Theo De Bakkere, 66anos, Antuérpia ― Bélgica
Escritiva nº 36 ― os «pontos» na história

Sem comentários:

Publicar um comentário