30/10/19

Desafio nº 189

Que tal trabalhar hoje o ritmo do texto?
Vamos escrever um texto onde a palavra «medo» aparece a cada quatro, cinco ou seis palavras ― vamos fazê-lo num texto que, ao ser lido, demonstra uma pressa amedrontada, ou um medo cómico, ou até um medo sublimado!

Eu diverti-me imenso:
Os vestidos brilhantes metiam medo ao susto, não que fosse um medo irracional, era um razoável medo de cegar com tanta cintilância, medo de absorção de foleirice naftalínica, medo de cair na esparrela e, que medo!, vestir-se também assim, o medo real de ser contagiada, um medo de trazer um vestido de meter medo aos sustos dos outros, um medo de cegar com o brilho do medo dos outros, sendo pirosa, sem medo do ridículo, cintilando naftalina.
Margarida Fonseca Santos, 59 anos, Lisboa
Desafio nº 189 ― muito medo…