21 fevereiro 2016

Paragens

Imagino que através destas linhas o comboio me conduzirá a paragens que me levarão a descobertas fascinantes, outras culturas, outras gentes, quem sabe, ao recomeço de uma nova vida.
Viaja ao meu lado um cavalheiro muito simpático e gentil que me disse ir até à última paragem e está a achar muito agradável a viagem.
Disse-lhe que ia sem destino. Sorriu e ofereceu-se para meu cicerone. Pedi-lhe que me apresente sítios e pessoas por quem me apaixone.

Maria Silvéria dos Mártires, 69 anos, Lisboa
Desafio Escritiva nº 5 – cruzar comboios


Sem comentários:

Enviar um comentário