30 abril 2018

Diário 77 ― 36 ― Então, ‘mor?

Parou ao meu lado. Estúpido, estava a provocar-me! Não lhe disse nada. Pôs-se a suspirar. Encolhi os ombros, desprendida, mas ele não desistia. Voltou a suspirar. Não aguentei mais, dei-lhe um violento estalo. O estúpido pareceu surpreendido.
― Então, estás zangada, ‘mor?
Outro estalo, desta vez bem mais forte.
― Adoro quando me bates…
Que nervos, pá. O estúpido ainda goza! Ri-te, ri-te, já vais ver.
Virei-me, furiosa. Deu-me um beijo. Fiquei sem palavras… Entreguei-me, que mais poderia fazer?
Margarida Fonseca Santos


EXEMPLOS - desafio nº 140


O polícia daltónico
O Dário ia para a tropa com o carro rosa.
No mato, o polícia daltónico comia o pato com o prato na mão. Nisto, passa o maior carro cor de prata no ar.

3º/4º B, EB de Galveias ― desafio 140

O polícia daltónico
O Dário ia para a tropa com o carro rosa.
No mato, o polícia daltónico comia o pato com o prato na mão. Nisto, passa o maior carro cor de prata no ar.
O polícia corria atrás do carro com o pato, o apito, o mapa, a mala, a pistola…
No carro, o casal com cadastro, ri, canta, namora…
O Dário passa a mascar, vai para o mar, mas o polícia distraído não nota. Ri, ri, ri…
3º/4º B, EB de Galveias, professora Carmo Silva
Desafio nº 140 ― 12 letras O L P R D S T M N

Desafio nº 140

Lembram-se do desafio nº 8, em que só tínhamos 12 letras?
Foi muito divertido, não foi?

Sabiam que podemos refazer o desafio usando o I em vez do E?

É isso que vos proponho: escrever um texto usando apenas estas letras:

O    L P C R D S T M N

Já escrevi o meu, aqui vai:
Dia do soco, o primo insistia. Adília, coitada, ia sorrindo para mim. Prima mal-amada, claro, prima para socar. Mário insistia no dito soco. Só soco tosco, mas dado na prima Adília. Mas não iria mais andar ao soco. Irritado, Mário inicia a dança dos socos. Como dar soco na prima assim, dançando? Adília ia apontando para a mala. Insistia na partida.
― Para com isso ― atiro ao Mário. ― A Adília ainda…
Mais nada… Partia rápida, a prima Adília.
Margarida Fonseca Santos, 57 anos, Lisboa
Desafio nº 140 ― 12 letras O L P C R D S T M N

EXEMPLOS

Ouvir este/outros textos aqui:


29 abril 2018

Diário 77 ― 35 ― Ó Freitas!

Podia pensar que eram boatos, ou podia pensar que diziam verdades. Freitas nunca ouvira o que se dizia. Limitava-se a adivinhar. Os dias passavam, cheios de palavras escondidas. Reconhecia rostos inquisidores a cada instante. Preocupou-se. Preocupou-se até àquele dia:
– Ó Freitas, é mesmo verdade que você faz voluntariado nos tempos livres?
Respondeu que sim, desconcertado.
À volta, rostos que o observavam, impressionados. E uma palmada nas costas atirou-lhe as dúvidas ao chão. Na verdade, nunca mais voltaram.
Margarida Fonseca Santos


Programas Rádio Sim - semana 30 abril 2018

Todos os programas, sempre com Helena Almeida e Inês Carneiro, 

nas Giras e Discos, podem ouvir-se aqui (ou pelos links que estão em baixo).

Indicativo do programa:








- Música e letra: Margarida Fonseca Santos; 
Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso
- Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Ana Paula Paiva ― desafio RS 31


Olho o jornal: um FURO! Não era a minha notícia. Ah, não vou perder o JUÍZO. Rodei a MAÇANETA da porta do chefe para resolver o PROBLEMA, não ia MASSACRAR a minha cabeça. Pensei no BISPO que entrevistara, senti-me parva. No coração senti um PESO como uma PEDRA e de nariz TORCIDO, com ar meio PALERMA, peguei o LIVRO das minhas reclamações já a pensar num tema para escrever, ESCONDIDO na minha mente profunda. Agora sempre vai!
Ana Paula Paiva, 52 anos, Porto
Desafio RS nº 31 – 14 palavras com ordem imposta

Bernardo, Inês e Catarina ― desafio 16

As Palavras
As palavras são muitas, mas muitas não significam nada sozinhas. Quando as conjugamos, formamos histórias, narrativas com asas para voar alto, tal como as andorinhas.
As palavras são como as fotografias, pois mostram o mundo da forma como o autor o avista.
As palavras são organizadas, postas com configuração controlada, para dar forma a algo, mostrando, assim, alguma vida.
As palavras são bocados do quiz, fatias da pizza, gotas do mar, notas d’uma pauta musical.
Bernardo Santos e Inês Mira, 18 anos, Catarina Carreira, 17 anos, 12º CT4 da Escola Secundária José Saramago-Mafra
Desafio nº 16 – uma palavra que define todo o texto

Ana Paula Paiva ― desafio RS 24


Ele gostava da palavra guarda. Gostava, pronto! Toda a gente achava que ele ia para a polícia, mas não. O rapaz optou pelo dicionário: que seria isso de ser guarda?
Em breve ele descobriu outras palavras: guarda-livros; guarda-rios; guarda-redes.
Achou por bem colocar a informação no guarda-joias da memória. Foi buscar um copo ao guarda-louça, encheu-o de limonada e sentou-se debaixo do guarda-sol a sonhar com uma profissão para o futuro. Policia é que não, isso nunca!
Ana Paula Paiva, 52 anos, Porto
Desafio RS nº 24 – 6 palavras com GUARDA-

Miguel Gonçalves ― desafio 15


Acordei! Sentia a brisa do vento a bater-me na cara. Os meus amigos diziam que se iam embora. Assim fizeram.
Sem amigos não restava nada de mim: só um saco de dinheiro que herdara dos meus pais, já falecidos.
Pensei em abordar a viagem mas no momento em que ia dizer para pararem…
Uma voz avisava-me:
― Marinheiro, aguenta porque sem sacrifícios não há recompensas!
Aguentei, aguentei e aguentei… depois de sete anos era rei de Portugal.
Miguel Gonçalves, 11 anos, 6ºA, Olhão, EB 2/3 Prof. Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
“Assim fizeram.”, Ulisses, de Mª Alberta Menéres

Ana, Simão, Joana e Luana ― desafio 37


Imerso num bosque, sob o sol de outono, trinquei um fruto verde que me lembrou dos meus tempos coloridos de juventude… Tempos inesquecíveis.
Espero que no futuro o universo me recompense com belos versos e momentos, em que, sendo os relógios inexistentes, o rio flui com o vento e com o crescimento dos peixes.
No sítio onde os seixos florescem como flores, encontro o meu destino – é ele que me surpreende com os sons de mentirosos segredos.
Ana Vieira e Simão Guedes, 17 anos, Joana Moreno e Luana Borges, 18 anos, 12º CT4 da Escola Secundária José Saramago, Mafra, prof Teresa Simões
Desafio nº 37 – uma história sem usar a letra A

Duarte Fernandes e Rita Mendes ― desafio 135


Hoje eu estou bonito e vou a um restaurante comer cabrito. E esse restaurante fica no Egito, o que é um pouco esquisito. Quando cheguei lá, dei um grito. E cheirei uma coisa muito esquisita, era o meu hálito. Quando saí, ouvi um mito sobre o lendário “Pé Grande” que comia toneladas de carne por dia e gostava de fazer exercício físico e de tirar fotos com as pessoas. Depois, assustava-as com a sua cara de mau.
Duarte Fernandes e Rita Mendes, 3ºB, EB Ermida, AE Abel Salazar, Matosinhos , prof. Alexandra e prof. Simone
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

André, Beatriz e Diogo Roussado ― desafio RS 39


Nos teus olhos encontro um tesouro por descobrir e os teus muros por demolir. O tempo corre como o vento, sempre em movimento, e só penso em ti. Jogo os meus sentimentos no rio e vejo-os fluir por ti, num círculo sem fim. Contudo, tu nem percebes. Ou possivelmente não queres perceber, cego pelo nevoeiro profundo em que te vês. E eu sofro por ti, e um pouco por nós, porque percebo que vives bem sem mim.
André Santos e Beatriz Guedes, 17 anos, e Diogo Roussado, 18 anos, 12º CT4 da Escola Secundária José Saramago-Mafra, prof Teresa Simões
Desafio RS nº 39 – história de amor sem A!

Matilde Mendonça ― desafio 15

Estão completamente cobertos de lixo. Que horror estar cheio de lixo! Deus me livre! O lixo: nojento e viscoso com um cheiro horroroso e um sabor que nem quero imaginar e muito menos descobrir! E estar com o corpo cheio de lixo a colar à cara e à roupa? Depois durante muito tempo ter aquele cheiro no nosso nariz e em nós! Aquele cheiro que depois de muitos, mas mesmo muitos, muitos, muitos, muitos banhos não sai!!!!
Matilde Mendonça, 11 anos, 6ºA, Olhão, EB 2/3 Prof. Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
Estão completamente cobertos de lixo, Charlie e a fábrica de chocolate, de Roald Dahl

Daniela Teixeira e Rafael Martins ― desafio 135


Era uma vez um cabrito que vivia no Egito. Ele era muito esquisito, porque tinha seis patas, uma língua enorme e umas orelhas bicudas.
Esse cabrito deu um grito muito alto. Um menino ouviu o grito e disse:
― Que cabrito maldito, que não deixa dormir.
E o cabrito respondeu:
― MÉEE!
O dono do cabrito, quando abriu a maçaneta da porta do celeiro, olhou para o cabrito e disse:
― Oh! Pareces um palito branco!
E o periquito assistiu.
Daniela Teixeira e Rafael Martins, 3ºB, EB Ermida, AE Abel Salazar, Matosinhos, prof. Alexandra e prof. Simone
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Irina Pedroso ― desafio RS 39


Corro em torno de um mundo perdido e misterioso, construindo contigo um sentimento visível em tudo.
És o reflexo dos meus olhos, o meu porto de conforto. Procuro fugir dos rumores, contudo sei que ninguém consegue pôr um fim nos nossos momentos inesquecíveis.
Mudei por ti? Mudei por nós? Questões difíceis, nem eu sei responder… Consequentemente, foi neste momento que o objetivo de conseguir colorir os meus sonhos se concretizou.
Concluindo, digo: I love you so much!
Irina Pedroso, 18 anos, e Tiago Alves, 17 anos, 12º CT4 da Escola Secundária José Saramago-Mafra, prof Teresa Simões
Desafio RS nº 39 – história de amor sem A!

Mariana Marto ― desafio 15


Um dia, uma menina que morava na rua “Rosa” repetiu inúmeras vezes que não havia nada pior que uma tempestade, que fizesse estragos, ou até mesmo acabasse com o mundo.
Nesse mesmo dia todos espalharam cartazes a informar para não saírem de casa, porque podia vir uma tempestade enorme que faria muitos estragos, até podia mesmo acabar o mundo.
Na minha cidade todos já sabem da nova notícia: uma onda gigante derrubou um prédio de 40 andares.
Mariana Marto, 12 anos, 6ºA, Olhão, EB 2/3 Prof. Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
“Não havia nada pior.”, Rosa, minha irmã Rosa, Alice Vieira

Beatriz Leandro ― desafio 135


No fim de semana passado, vi, em Lisboa, um homem muito aflito. Ele era bastante bonito. Não falava português, tinha vindo do Egito. Deveria ser um homem de muito êxito pois estava bem vestido, tinha anéis e fios de ouro, mas tinha muito mau hálito. Um mosquito manhoso tinha-lhe mordido, era alérgico. Alguém se prontificou a levá-lo ao hospital, mas como havia muito trânsito devido ao jogo Benfica – Porto, prestaram-lhe os primeiros socorros no meio da rua.
Beatriz Leandro, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Ana Almeida e Afonso Oliveira ― desafio 135


Quando o treinador de futebol estava aflito, uma menina disse-lhe:
― Você é mesmo bonito!
Havia um concurso no Egito. Quem conseguisse correr mais depressa à volta das pirâmides, ganhava. Era um êxito! Tinha milhares de visualizações, mas um grande mosquito não parava de destruir as pirâmides.
O treinador foi chamar o periquito para ajudar na confusão. O mosquito continuava a destruí-las.
― Que pena! Assim já não havia concurso.
Foi chamar um perito para acabar com aquela situação.
Ana Almeida e Afonso Oliveira, 3ºB, EB Ermida, AE Abel Salazar, Matosinhos , prof. Alexandra e prof. Simone
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Bernardo Ramirez ― desafio 135


Num dia de verão, participei numa manifestação onde toda a gente gritava ´´Acredito no ministro Brito``.
Eu já tinha dito que o que lá estava escrito não fazia sentido. Por muito grande que fosse o meu grito e que eu achasse que chegava até ao infinito, para fazer mostrar que aquele ministro estava errado, ninguém me ligava e a certa altura até senti que me picaram com um palito.
E assim eu achei melhor sair daquele lugar.
Bernardo Ramirez, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Alunos do 2º A – EB Ermida ― desafio 37

Nos últimos tempos, o tempo esteve muito chuvoso. O nosso recreio ficou só e triste. Nós tivemos de escrever jogos divertidos no telemóvel do professor Hugo, porque ficou tudo tolo. O monopólio ficou sem sentido, um livro ficou incolor, o bowling fechou, tudo ficou infeliz. O professor resolveu tudo com um vídeo do futuro, colocou todos em movimento e o tempo fez esquecer. O sol ouviu o som do riso dos jovens e foi florir o recreio.
Alunos do 2º A – EB Ermida – AE Abel Salazar – Matosinhos, prof. Alexandra e Joana Guimarães
Desafio nº 37 – uma história sem usar a letra A

Vicente Victorino ― desafio 15


O príncipe tem orelhas de burro! HAAAAAAA! HAAAAAAA! HAAAAAAA!
O novo brinquedo do Jumbo onde só se vendem príncipes com orelhas de burro!
Eu fiquei em pulgas, pensava que aquilo era um sonho, mas não era! Por isso implorei à minha mãe que me levasse ao Jumbo para me comprar o fantástico brinquedo!
No Jumbo levei a minha mãe à nova loja dos brinquedos. Quando lhe mostrei o príncipe com orelhas de burro ela gritou agoniada: Repugnanteeee!
Vicente Victorino, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
“O príncipe tem orelhas de burro!”, Contos e lendas de Portugal e do mundo, de João Pedro Mésseder

Bernardo Salas ― desafio 135


Eu AFLITO, lá AGITO o sino do restaurante e entro de rompante. Olhei para um empregado BONITO e pedi-lhe um BURRITO. Mas, de repente, cai um METEORITO e deu cabo do restaurante. Mesmo assim pedi um PALITO. O empregado serviu-me. Vou-me embora e deixo para trás um rasto de destruição. Ainda assim quando chego a casa, tomo banho e vou para a mesa. Toco no meu PERIQUITO a ver se não lhe tinha acontecido nada de mal.
Bernardo Salas, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Mariana Graça ― desafio 15


Um dia, Manuel e seu filho, Ulisses, foram ao parque e quando chegaram a casa Ulisses perguntou ao pai:
― Contas-me as tuas aventuras? 
O pai contou-lhe.
Quando Ulisses fez dez anos, o pai faleceu. Ele lembrou-se das aventuras dele e decidiu fazer igual: uma aventura que seu pai queria fazer com ele, mas que não o fez, porque entretanto faleceu: ir a Marte de foguetão, uma aventura a não esquecer! Fascinantes são as aventuras de Ulisses.
Mariana Graça, 11 anos, 6ºA, Olhão, EB 2/3 Prof. Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
“Fascinantes são as aventuras de Ulisses”, Ulisses, de Mª Alberta Menéres

Cristiano Maia ― desafio 135


Um dia, um rapaz chamado João estava muito aflito para comer um grande e gostoso burrito.
Deu um grito com um hálito esquisito:
― Eu li este manuscrito sobre um subscrito youtuber WANT!
Todos ficaram surpreendidos, mas isso passou.
Passado umas semanas o João apanhou trânsito e nervoso começou a gritar:
― Sou seguidor do WANT!
O seu pai mandou-o parar e perguntou se queria conhecê-lo.
Então João parou e como recompensa conheceu finalmente o seu querido ídolo português.
Cristiano Maia, 13 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Maria Rosado Ribeiro ― desafio 15


Num dia de verão duas amigas decidiram ir passear de barco.
O barco desceu o rio, que ia ficando mais estreito. Quando chegaram à foz fizeram um delicioso piquenique. Elas levaram bebidas, pizza, salada e fruta.
No fim do piquenique foram jogar às cartas e aproveitaram o tempo para praticar Geocaching. Conhecem esta aplicação?
Entretanto elas foram dar uns mergulhos.
Quando chegaram a casa estavam cansadas, mas muito, muito felizes por terem aquele dia fantástico e maravilhoso!
Maria Rosado Ribeiro, 11 anos, 6ºA, Olhão, EB 2/3 Prof. Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
"O barco desceu o rio, que ia ficando mais estreito." é do livro "Charlie e a fábrica de chocolate", de Roald Dahl

Diogo Linhan ― desafio 135


Eu admito que apenas o que está escrito diz o quão eu imito as palavras, mesmo sabendo que estão erradas.
Para mim, eu hesito, pois as coisas boas chegam com o tempo, mas as melhores… de repente.
A cada meteorito que passa, mais vontade tenho de desejar o que menos posso. Por fim, quero dizer que eu ressuscito, isso apenas existe para quem merece e para quem sonha.
O que transmito é para alegrar os teus sonhos.
Diogo Linhan, 11 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Vasco Barros ― desafio 15


Não sei que cor são os navios
Quando estão a navegar
Parecem grandes nuvens
Sempre a flutuar.

Quando olho ao longe
Gosto de imaginar
Que estou dentro de um navio.
Com a cabeça sempre a sonhar.

No mar sinto-me bem
Seja num navio ou a nadar.
Sinto que faço parte dele.
A minha felicidade faz aumentar

Lá no fundo tenho medo
Que um dia tudo possa escapar
Seja numa grande onda gigante ou
Numa corrente de ar.
Vasco Barros, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
Não sei que cor são os navios … Numa corrente de ar.
POEMAS, Manuel Alegre, LEYA; Poema: Coração Polar

Érica Alberto ― desafio 15


O Santiago recebeu um bonito postal com um texto escrito. Quando começou a ler, a mãe chamou-o para almoçar peixe frito.
Depois do almoço foi passear com os amigos, caiu no granito e deu um grande grito!
Quando chegou a casa disse que era o seu dia de azar.
Nisto lembrou-se do postal que recebeu e foi ler. Ao ler percebeu que era um mito que estava escrito a negrito, que tinha sido enviado pelo seu amigo.
Érica Alberto, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Maria Luísa Santos ― desafio 15


Um dia a Justina recomendou a todos os seus filhos (que eram 7), que não brincassem com a loiça, pois podiam-se cortar, se ela caísse.
Todos prometeram solenemente cumprir o que ela lhes recomendava, mas quando a mãe se voltou, todos começaram a brincar de novo com a loiça, quando aconteceu uma tragédia: cortaram-se com a loiça.
A mãe ouviu o estrondo da loiça, foi à cozinha.
Lá estavam eles a chorar, felizmente acabou tudo muito bem.
Maria Luísa Santos, 11 anos, 6ºA, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
"Todos prometeram solenemente cumprir o que ela lhes recomendava.", Ulisses, Maria Alberta Menéres

Gabriel Guerreiro ― desafio 135


Nas férias da Páscoa vi-me aflito porque acho que desapareceu o meu cabrito e amigo chamado Chixarrito, mas ele não tem alianças com o Conguito (o cabrito da minha simpática vizinha) acho que tem defeito de fabrico.
Com esta maluqueira toda, do nada caiu um meteorito, aquele fenómeno bateu vários recordes, como já era esperado, e alguém exclamou: “Isto foi um mito!”
Senti-me muito mal e desmaiei, estava tudo tão estranho quando reparei que estava na lua.
Gabriel Guerreiro, 11 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Alina Miguel ― desafio 15


“Piu! Piu! Piu!”, cantavam os passarinhos felizes por regressarem a casa, ansiosos por regressarem aos seus ninhos e ficarem com as suas famílias.
Na primavera são eles que dão cor ao céu - há-os de todos os tipos e espécies: andorinhas que gostam de dançar, pica-paus que gostam de picar, rouxinóis que gostam de cantar, pombas tão bonitas que são sinal de amor e paz e, claro, o beija-flor que volta sempre para ver a sua amada.
Alina Miguel, 12 anos, 6ºC, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
“Piu! Piu! Piu!” - O Menino Estrela de Oscar Wilde
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro

João Silva ― desafio 135


Eu e o meu amigo João fomos para o Egito. Chegamos à hora de almoço e a minha mãe fez o meu almoço favorito: peixe frito com arroz de tomate e salada.
Estava a observar as pirâmides com o João porque nunca as tinha visto e pensava que era um mito. Mas depois caiu um meteorito
Entretanto fomos todos para casa quando um mosquito me picou! Doeu-me muito! Mas lanchamos e depois fomos todos para o avião.
João Silva, 11 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Rodrigo Peres ― desafio 15


Um coelho bravo por aqui? Não é muito normal andar pela cidade, onde eu moro, coelhos bravos! Mais estranho, era andar pelo shopping, onde eu andava às compras com a minha mãe. Então pensei em ficar com ele, levá-lo para casa. Será que a minha mãe iria deixar? Perguntei-lhe se podia ter um coelho em casa e para minha surpresa, ela disse que sim, com uma condição: teria de ser eu a tratar e limpar o coelho.
Rodrigo Peres, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
"- Um coelho! Um coelho bravo, aqui! - exclamou ele.", Ismael e Chopin, Miguel Sousa Tavares, p.39
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro

Maria de Jesus ― desafio 15


A minha viagem preferida foi quando fui a Paris com os meus pais e a minha irmã.
Desde a Disneyland, à Notre Dame, do Arco do Triunfo, ao Museu do Louvre, ou mesmo à Torre Eiffel, não consigo dizer qual foi o melhor! Os sete dias passaram a voar! Foi uma viagem que me ficará para sempre na memória.
No regresso, sentei-me no avião, estava cansada e adormeci… Pouco depois, finalmente, aterramos em Lisboa. Fiquei muito feliz!
Maria de Jesus, 11 anos, 6ºA, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
Pouco depois, finalmente, aterramos em Lisboa - Gerónimo Stilton na rota de Vasco da Gama

Mariana Gomes ― desafio 135


Um dia estava na casa de uma amiga e ela disse-me:
― Não acredito que o teu trabalho é mais bonito do que o meu!
E eu respondi-lhe:
― Mas tu também não és boa com o tema do Egito. O bom é que não foi escrito, porque senão ia demorar um tempo infinito a fazer! Mas para o próximo, eu posso ajudar-te.
Muito obrigada! Necessito mesmo da tua ajuda!
― Então é só escolher o dia certo. Será fantástico!
Mariana Gomes, 12 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 135 – 7 palavras com ITO

Gonçalo Pacheco ― desafio 15


Lucas vai para uma queijaria com um amigo e na montra estava um queijo. Lucas então disse:
― Olha, é uma barra de ouro em forma de um queijo!
― É um queijo! ― disse o amigo. ― Eu vi um queijo na televisão, é uma comida banhada a ouro.
― Sabes qual é o preço? ― perguntou o Lucas.
― Eu não sei, mas deve ser muito caro ― respondeu o amigo. ― Só as pessoas ricas.
― Eu não sou rico, então não posso comprar…
Gonçalo Pacheco, 11 anos, 6ºC, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
― É um queijo! ― A lua é um queijo, Nuno Caravela
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro

Rania Sequeira ― desafio 15

Eu e a minha mãe fomos à praia e pensei “o mar, o só mar, o mar, o só mar”... Em casa, fui ler o livro “Ulisses”. Foi estranho, tinha a mesma frase que pensei na praia! Emocionada contei à minha mãe.
Na outra manhã acordei dentro dum barco com muitos soldados. Dirigia-me a Troia. Assustada falei com todos, mas parecia que era invisível! Quase a chorar... Acordei, fui ter com a minha mãe e contei-lhe tudo!!
Rania Sequeira, 11 anos, 6ºB, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro
O mar, o só mar, o mar, o só mar”, Ulisses, Maria Alberta Menéres