31 outubro 2014

Programa Rádio Sim 376 – 31 Outubro 2014

OUVIR o programa! 


No site da Rádio Sim

Um abraço
A evolução da vida obrigou-me a transgredir as regras, a mudar de casa, de terra, de vida!
Mas até o transtorno do transporte tem valido a pena pela transformação que acarreta consigo uma mudança.
Mudar de vida quase sempre nos transporta a estádios superiores do ser.
Exige de nós desapego de rotinas e hábitos mas transmite novas energias transformadoras e geradoras de oportunidades novas.
Rasga o nosso horizonte, quantas vezes tão limitado, abrindo novos ângulos de visão.

Maria da Graça Palhares, 60 anos, Vila Nova de Famalicão
Desafio RS nº 5 – 7 palavras com TRANS–– (no início, não necessariamente prefixo)

Partilhas e emoções

Não são apenas palavras
São acções,
São partilhas e emoções

Não são contos
Não são ilusões
São vivências dos corações

São raios solares
E brilhos dos olhares
São painéis celestes
E pinturas rupestres
Catedrais dos pensamentos
Dias iluminados e não cinzentos

77 toques humanos
Dedicados aos seres mundanos
Cuja fonte é a Margarida
Nossa escritora querida

77 flores
Apalavradas do jardim
77 cores
De uma magia assim

Não são apenas palavras
São acções
São partilhas e emoções!

Ana Mafalda, 44 anos, Lisboa

Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Vai ver, vai...

“Vai ler o blog “77 palavras”, já que gostas tanto de histórias!”, disseram-me… Eu fui! Bem-mandada que sou, li e reli imensos conjuntos de 77 palavras… uns hilariantes, outros sentimentais, outros que deixam-nos viajar ao som de palavras para terras ou situações longínquas…! Resumindo, o que para uma pessoa foi um novo projecto, para muitos outros tornou-se um vício semanal. A curiosidade pode ser fatal para os gatos, mas para os blogueiros é uma constante imprescindível.

Isabel Pinela Fortunato, 41 anos, Amadora
Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Desafia Sim!

Era um blogue de palavras
Setenta e sete, apenas e tão só
A cada dez dias um tema
Desafia que mete dó

Há sílabas que não encaixam,
Regras para cumprir
Palavras que não se cruzam
E o prazo a sucumbir

Há consoantes proibidas
Vogais que são sinais
Um barco que não navega
Ou que não chega ao cais

Escrever é inventar nova alegoria
O mar uma imensidão
Ao céu traz poesia
A Margarida uma flor na mão!

Alda Gonçalves, 77, Porto

Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

O blogue

O blogue "Histórias em 77 palavras". Quem ignora? Mesmo além das fronteiras de Portugal, sabe bem encontrá-lo.
Ora, são desafios para todas as idades. Somente necessita um pouco de audácia e mente aberta. Seja breve e conciso. Uma palavra a mais ou sintaxe errada será desempanada mais rápido do que uma declaração de furto no posto de polícia.
Participe! E sempre será recompensado pela sua contribuição literária com um encorajamento amigável.
Adoro este mundo das 77 palavras.

Theo De Bakkere, 61 anos, Antuérpia Bélgica
Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Que raiva!

Sou um bule rachado, sou velho, o dourado que me tornava o mais lindo bule do armário, desapareceu há muito.
Ontem, a Maria ao lavar-me quebrou a minha bica.
Baboso, o chá já não vai cair certo naquela linda chávena de porcelana chinesa.
Aproxima-se a hora de voltar a ver a minha amada.
Reparará na minha cicatriz?
Poderei  eu aspirar ao amor daquela bela chávena que me tolda os sentidos?
Que raiva! Hoje estrearam o bule azul!!!

Maria Helena Alves, 80 anos, Estremoz, Academia Sénior, prof. Zuzu Baleiro
Mais textos aqui: http://zuzupoesiaecontos.blogspot.pt/
Desafio nº 2 – “Sempre quis ser uma história”, palavras obrigatórias por ordem inversa


Os papagaios perdidos

Um menino fez anos e ofereceram-lhe nove papagaios.
Num dia de vento, lançou os papagaios e dois deles fugiram para o infinito e mais além…
Mas o azar não ficou por aqui.
Apareceu um ladrão e levou-lhe o mais lindo dos papagaios.
Nesse instante apareceu uma estrela cadente e o menino pediu um desejo
O desejo era: entrar no portal do mundo dos papagaios.
Entrou. Enfrentou medos e um lago de crocodilos e lá estava o papagaio!


EB Coruche, 3º B, Professoras Carmo e Fátima
(sem desafio)

30 outubro 2014

Programa Rádio Sim 375 – 30 Outubro 2014

OUVIR o programa! 


No site da Rádio Sim


Tudo começou com uma ideia: escrever textos curtos, partilhar histórias. 77 foi o número mais divertido que encontrei, gosto muito do 7. A cada desafio, foram chegando mais amigos, viciados em textos curtos, dispostos a escrever e cortar, aprimorar o texto para que mostre o que queremos dizer e o que queremos que se adivinhe nas nossas palavras. Depois, a Rádio Sim! Para mim, é um sonho realizado. Agradeço-vos a todos este cantinho de escrita e amizade.

Margarida Fonseca Santos
Desafio nº 77 – com frase retirada de um livro

EXEMPLOS - desafio nº 77

Foi através de uma amiga da blogosfera que aqui vim parar, a este cantinho onde são precisas 77 palavras. Comecei timidamente, sem saber muito bem o que escrever. Achava complicado fazer pequenos textos, mas aos poucos fui escrevendo e fiquei viciada. Nem sempre tenho muito tempo, mas lá vou conseguindo colaborar e estou sempre na expectativa do que a Margarida vai inventar. Por aqui penso ficar e com amizade deixo um abraço para quem por aqui passar.
Sissi, 39 anos, Vila Real

Só podemos agradecer
Bela iniciativa a Margarida teve e assim que dela tomamos conhecimento, viciadas nele ficamos.
Para quem, como eu, "mais pra lá do que pra cá", mexer com a cuca é preciso cada vez mais.  
Desafios assim  garantem uns bons tempinhos de neurônios funcionantes.
Hoje, por ser o  número 77, Margarida foi "boazinha".  Outros, bem difíceis e que quase fundem a cabeça.
Desejo continuar muito tempo a desafiar a cuca aqui.
Sinal de vida! Venham muitos desafios mais!
Chica, 65 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil 

Quantas? Quantas?
«Ideia de doidos», diriam alguns. «Impossível» pensariam outros.
Escrever com limite de palavras e ainda por cima com regras: não pode fazer isto ou aquilo; tem de fazer assim ou assado.
– Quantas palavras tem de ter o texto? Quantas? – pergunta alguém acabado de chegar, pronto a arriscar a sorte.
E lá vamos, construído um texto após outro, permitindo que as 77 palavas nos entrem na pele e nos viciem. Mas, não se preocupem. É um vício bom!
Quita Miguel, 54 anos, Cascais

O 7 e a Margarida
E na origem estava o 7: 7 virtudes; 7 pecados mortais; 7 chacras; 7 ciclos da Terra; 7 notas musicais; 7 cores do arco-íris; 7 dias da semana...
Número sagrado, perfeito e poderoso, já dizia Pitágoras.
O 7 e a Margarida. Que não satisfeita apenas com o 7 o repete e torna em 77. O blogue ou belogue, como diria o Tomás, de partilha de textos de 77 palavras, de Amizade.
Histórias lidas, contadas, também porque SIM.
Violeta Seixas, 47 anos, Lisboa

Sai daqui alemão!
Sintetizar. Limitando o traduzir do pensamento. Dar sentido ao texto em poucas palavras. Criar minimalistas. Daí encontrei recentemente algo ainda melhor. Tudo isso na limitação de palavras. Epa! 77 palavras? Como?
A flor Margarida gosta do número 7, mas, seria muito pouco. 77 ficou no tamanho ideal. Para batermos cabeça, escrever, enxugar, contar, revisar. Exercitar, afastar de vez o Alemão. Adorei!  Fica ainda melhor quando além de tudo temos mais um criativo complicador! E viva a primavera!
Roseane Ferreira, Macapá, Estado de Amapá, Brasil

Há bastante tempo que tenho vindo a ler no Blogue da querida Chica as suas histórias incríveis de participação nos desafios das 77 palavras! Entusiasmei-me, até que um dia resolvi também tentar! Hoje é a minha terceira participação! O mais extraordinário foi tomar conhecimento do desafio através desta amiga do outro lado do Atlântico!
Através dela conheci outra pessoa muito especial, como é a Margarida! Simpática, alegre, meiga, acolhedora! Agradeço-vos, amigas, pelo carinho e atenção dedicados. Bem-hajam!
Emília Simões, 63 anos, Mem-Martins, Algueirão

O blogue
O blogue "Histórias em 77 palavras". Quem ignora? Mesmo além das fronteiras de Portugal, sabe bem encontrá-lo.
Ora, são desafios para todas as idades. Somente necessita um pouco de audácia e mente aberta. Seja breve e conciso. Uma palavra a mais ou sintaxe errada será desempanada mais rápido do que uma declaração de furto no posto de polícia.
Participe! E sempre será recompensado pela sua contribuição literária com um encorajamento amigável.
Adoro este mundo das 77 palavras.
Theo De Bakkere, 61 anos, Antuérpia Bélgica

“Tenho de escrever mais vezes”, pensei. Encontrei o “77” pelo Google. Com o passar do tempo, a escrita dos desafios tornou-se num momento de silêncio, de minutos parados e dedos lançados no teclado. A procura da imaginação desafiada mudou para a necessidade desse silêncio que experimento sempre que escrevo. Foi graças a este blogue e à Margarida que descobri estes momentos de paz interior, de intervalo, de demora, de cumplicidade entre mim e o meu pensamento. Obrigada!
Clara Lopes, 38 anos, Sintra

Desafia Sim!
Era um blogue de palavras
Setenta e sete, apenas e tão só
A cada dez dias um tema
Desafia que mete dó

Há sílabas que não encaixam,
Regras para cumprir
Palavras que não se cruzam
E o prazo a sucumbir

Há consoantes proibidas
Vogais que são sinais
Um barco que não navega
Ou que não chega ao cais

Escrever é inventar nova alegoria
O mar uma imensidão
Ao céu traz poesia
A Margarida uma flor na mão!
Alda Gonçalves, 77, Porto

Privilégio
Caras companheiras de escrita,  considero-me  "sortuda".  Conheço a Margarida há quase  vinte anos.  Tive a sorte de estar inserida num grupo de escrita criativa orientado por esta senhora que se tornou numa amiga. (Não é difícil).
Foi muito gratificante.
Agora, com o desafio 77 de 77 palavras, sonhar não custa, se nos juntássemos para falar, uns 77 minutinhos, tomar um chá feito, por exemplo de 77 folhas. De tília ou outras.
Quem sabe... talvez na Rádio, "SIM"?! 
Rosélia Palminha, 66 anos,  Pinhal Novo

“Vai ler o blog “77 palavras”, já que gostas tanto de histórias!”, disseram-me… Eu fui! Bem-mandada que sou, li e reli imensos conjuntos de 77 palavras… uns hilariantes, outros sentimentais, outros que deixam-nos viajar ao som de palavras para terras ou situações longínquas…! Resumindo, o que para uma pessoa foi um novo projecto, para muitos outros tornou-se um vício semanal. A curiosidade pode ser fatal para os gatos, mas para os blogueiros é uma constante imprescindível.
Isabel Pinela Fortunato, 41 anos, Amadora

Não são apenas palavras
São acções,
São partilhas e emoções

Não são contos
Não são ilusões
São vivências dos corações

São raios solares
E brilhos dos olhares
São painéis celestes
E pinturas rupestres
Catedrais dos pensamentos
Dias iluminados e não cinzentos

77 toques humanos
Dedicados aos seres mundanos
Cuja fonte é a Margarida
Nossa escritora querida

77 flores
Apalavradas do jardim
77 cores
De uma magia assim

Não são apenas palavras
São acções
São partilhas e emoções!
Ana Mafalda, 44 anos, Lisboa

Setenta e sete palavras,
são um misto de magia,
uma dose de alegria
e muita imaginação!
Depois, é só procurar
histórias há muito esquecidas
que teimamos em guardar
no fundo do coração.
São feitas de emoções
que vão quebrar solidões,
dar sentido a outras vidas.
Baralham-nos o pensamento,
são levadas pelo vento,
são levadas pelo mar...
Setenta e sete palavras,
são histórias de partilhar
que nos transformam a vida,
e só mesmo a Margarida
as poderia inventar!
Isabel Lopo, 68 anos, Lisboa

Blogue, histórias em 77 palavras
Histórias em 77 palavras
Meu blogue favorito
Eu escrevo, tu a terra lavras
Na terra espalhas a semente
Vai-se transformado em trigo
E depois em farinha
Para dar o pão bendito
É no campo que a andorinha
Vai debicando a palhinha
Com seu voar de rainha
Eu no blogue escrevo uma palavrinha
O blogue não quero deixar jamais
Eu me divirto demais
As palavras são setenta e sete
Vem escrever, fazer um brilharete
Pois o blogue promete.
Maria Silvéria dos Mártires, 68 anos, Lisboa

Blog e Companhia
Méritos são muitos. Da mentora e divulgadora do blog das 77 palavras, Margarida Fonseca Santos. A coadjuvar, o simbolismo do número sete, que em múltiplas valências se desdobra:
As sete virtudes;
Os sete pecados capitais
As sete cores do arco-íris;
Os sete dias da semana;
As sete vidas do gato;
As sete colinas de Lisboa...
Sete número primo, setenta e sete número gémeo.
Ah, a querida Margarida também tem um sete no nome. O do meio: Fonseca!
Elisabeth Oliveira Janeiro, 70 anos, Lisboa

Procuro (no fundo do baú das memórias).
Dialogo (com o mais íntimo de mim).
Invento (histórias que não sei).
Amadureço (ideias que nascem pueris).
Seleciono (palavras que jorram).
Arrumo (sílaba a sílaba).
Recuo.
Esculpo (frases desajeitadas).
Quebro (muros e barreiras).
Avanço.
Fujo (da realidade que teima em ferir).
Esqueço (que o mundo é mal governado).
Refugio-me (no silêncio).
Infiltro-me (no espaço sideral).
Encontro (o meu alter ego).
E descubro que o 77 é número calmante que vicia.
Ana Paula Oliveira, 54 anos, S. João da Madeira

Ainda não era abril
Um quadradinho de papel rasgado ao jornal do café; histórias em setenta e sete palavras; primeiro lugar na categoria de língua portuguesa no “concurso blogs do ano 2012”; mês de março de 2013: último dia. E a Primavera começou nesse dia: a casa iluminou-se, os meus olhos apanharam o brilho que andavam derramando pelo chão, o meu corpo esqueceu-se de estar dorido. A alma sorriu. Agora? Tenho setenta e sete razões para participar no septuagésimo sétimo desafio.
Maria José Castro, 54 anos, Azeitão

Parabéns Margarida Fonseca Santos
Quando vi o desafio... Histórias em 77 Palavras! Parecia ser fácil...!
Mesmo sabendo que não gostava de escrever, aceitei o desafio.
Uma experiência nova para afugentar medos, inseguranças...
Não foi fácil... mas consegui! O segredo é a partilha, a amizade.
Escrever e brincar com as palavras torna-se divertido... trabalha-se a imaginação desperta a criatividade e o gosto pela escrita escrita.
Palavras que somadas às demais... formam lindas histórias em 77 Palavras.
Fantástica iniciativa! Parabéns Margarida Fonseca Santos.
Prazeres Sousa, 51 anos, Lisboa

Margarida
Conheci o blog numa acção formativa. Nesta deparei-me com uma pessoa maravilhosa, com quem tive o privilégio de contactar algum tempo: Margarida.
Logo, no primeiro encontro, senti empatia total.
Depois, comecei participando nos desafios. Espontaneamente, sem preocupações de qualquer ordem.
Sinto-me em casa, nestes textos (facto não alheio à pessoa magnífica da Margarida).
O blog está excepcionalmente concebido; organizado; zela pela criatividade. Excelente!
Os textos que nele escrevo são libertadores. Espaço possível para "deixar" a minha alma.
Isabel Pinto, 47 anos, Setúbal

Caiu e sentou-se
Esta história não é diferente. Também começa com…
Era uma vez uma mulher-mãe-esposa-executiva.
Linda, eficaz, perfeita. Tempo sempre certo, sítio sempre exato, palavra sempre serena.
Perfeitíssima. Mas ninguém acreditava.
Nem ela própria.
Havia aquele vazio que a engolia. Aquele vazio que a interrogava.
Quem és, afinal?
Um dia caiu fundo. E sentou-se. E escreveu 77 palavras.
E descobriu que cada palavra era uma fibra do seu ser.
Que havia ser, para além da aparência do seu ser.
Fernanda Elisabete Gomes, 58 anos, Lisboa  

São 77 palavras, são
77 palavras para te contar uma história. Uma história pequenina, mas com princípio, meio e talvez fim. Que fale para todos, que não seja triste e que, se possível, mostre que o amor existe. Na folha em branco do word, aparecem as letras que vou picando com o indicador direito, criando palavras para transmitir registos da minha memória. Que te façam sorrir. Ou pensar. Ou agir. Conto as palavras do conto. Reconto. Mais uma. Menos uma. Pronto.
Fernanda Ruaz, 66 anos, Lisboa

Desafio
Quando me cruzei com o blogue “Histórias em 77 palavras” achei os desafios interessantes mas impossíveis para mim.
Tagarela, sem poder de síntese, gostando de me espraiar nas frases e deambular pelas palavras, nem valia a pena tentar.
Espreitava, lia, mas nada mais.
Um dia, enchi-me de coragem e depois de muito cortar (e suar) consegui a proeza de uma história em 77 palavras.
Muitos meses e histórias depois, o desafio continua difícil mas realizável.
Obrigada, Margarida.
Palmira Martins, 58 anos, Vila Nova de Gaia

Este acróstico também tem 77 palavras
Desperta-me a imaginação
Escrevê-los não é fácil
São sempre setenta e sete
As palavras a escrever
Faço-os a toda a hora
Imagino-os até adormecer
O tempo passa sem vê-lo
Sinto prazer ao fazê-los

Descobrir palavras
Escrevê-las e reescrevê-las

Para o fazer já tenho
Aqui, papel, tina e caneta
Lentamente uma a uma escrevendo
Assim, vão, aparecendo
Várias frases, com princípio, meio e fim
Revejo tudo atentamente
Agora digo com muita convicção
Setenta e sete palavras aqui estão
São Sebastião, 66 anos, Estremoz

77 palavras numa história é coisa especial, coisa do 7, que é o número da sorte, E que sorte eu tive de encontrar este blogue que nos põe desafios tão loucos como criativos e divertidos. Parabéns à Margarida Fonseca Santos (que faz anos por estes dias) que com a sua dedicação e talento tem desenvolvido este criativo encontro de pessoas e textos, que particularmente me tem levantado do chão. O meu obrigado, setenta e sete vezes, claro!
Constantino Mendes Alves, 56 anos, Leiria

Tudo começou com um fantástico Workshop que aconteceu numa ilha distante. Não imaginava o que me iria acontecer ao conhecer a nossa querida Margarida. Naqueles dias mergulhei na magia das palavras que até então não tinha percebido. Os desafios fizeram-se uma constante. Daí a ficar viciada foi um pulo. Descobri um blogue, uma escritora fantástica e tornei-me dependente. A cada dia que passa mais me enrolo nas palavras, costurando os desafios. Essa magia ensinou-me a Margarida. Obrigada!
Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

Setenta e sete palavras
Setenta e sete palavras,
É contagem rigorosa,
Para fazer-se entender
Para ser harmoniosa!

Sai uma e entra outra,
Haverá mais perfeição?
Voa livre pensamento,
Conforme a inspiração!

É jogo interessante,
Um brincar que desafia,
Dá-nos muita liberdade,
Senão, eu não o faria!

Com temas tão viciantes
Não é tão fácil assim,
Se me distraio a contar,
Isso dá cabo de mim!

E, certos quebra-cabeças,
Dão muito mais que fazer,
Corrigir deve ser “dose”
Inventar é um prazer!
Maria do Céu Ferreira, 60 anos, Amarante

Escrever, é arte, ou dom, não sei,
para mim, é um doce vício,
que faz bem à alma.
Comparado com as quedas de água,
da serra do Gerês, transmite paz,
sensação de uma suave tranquilidade.
Através da escrita mostramos um pouco,
do que fomos, somos, ou gostaríamos de ser.
Por vezes revelamos até os nossos sonhos.
A escrita sobrepõe-se às palavras,
que por vezes leva-as o vento.
Nela, constrói-se um castelo,
para aquele que lê poder habitá-lo.
Natalina Marques, 56 anos, Palmela

Um exercício ou um desafio?
Penso ser tudo junto e misturado. Sempre digo que 77 palavras é uma espécie de provocação um soco direto na criatividade, um mote que combinado com as ditas 77 palavras gera uma história. Não resisto, e minha curiosidade se aguça, cutucando a criação que dispara um sinal e os dedos, obedecendo à mente, agilmente escrevem, contam, contabilizam, e seguem assim, afinal palavras tem vida, tem sentimentos e fazem a vida ter mais sentido!

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil

Com o Atlântico pelo meio

Há bastante tempo que tenho vindo a ler no Blogue da querida Chica as suas histórias incríveis de participação nos desafios das 77 palavras! Entusiasmei-me, até que um dia resolvi também tentar! Hoje é a minha terceira participação! O mais extraordinário foi tomar conhecimento do desafio através desta amiga do outro lado do Atlântico!
Através dela conheci outra pessoa muito especial, como é a Margarida! Simpática, alegre, meiga, acolhedora! Agradeço-vos, amigas, pelo carinho e atenção dedicados. Bem-hajam!

Emília Simões, 63 anos, Mem-Martins, Algueirão
Mais histórias aqui: http://ailime-sinais.blogspot.pt/
Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Sai daqui, alemão!

Sintetizar. Limitando o traduzir do pensamento. Dar sentido ao texto em poucas palavras. Criar minimalistas.  Daí encontrei recentemente algo ainda melhor. Tudo isso na limitação de palavras. Epa! 77 palavras? Como?
A flor Margarida gosta do número 7, mas, seria muito pouco. 77 ficou no tamanho ideal. Para batermos cabeça, escrever, enxugar, contar, revisar. Exercitar, afastar de vez o Alemão. Adorei!  Fica ainda melhor quando além de tudo temos mais um criativo complicador! E viva a primavera!

Roseane Ferreira, Macapá, Estado de Amapá, Brasil
Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

O 7 e a Margarida

E na origem estava o 7: 7 virtudes; 7 pecados mortais; 7 chacras; 7 ciclos da Terra; 7 notas musicais; 7 cores do arco-íris; 7 dias da semana...
Número sagrado, perfeito e poderoso, já dizia Pitágoras.
O 7 e a Margarida. Que não satisfeita apenas com o 7 o repete e torna em 77. O blogue ou belogue, como diria o Tomás, de partilha de textos de 77 palavras, de Amizade.
Histórias lidas, contadas, também porque SIM.

Violeta Seixas, 47 anos, Lisboa

Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Quantas? Quantas?

«Ideia de doidos», diriam alguns. «Impossível» pensariam outros.
Escrever com limite de palavras e ainda por cima com regras: não pode fazer isto ou aquilo; tem de fazer assim ou assado.
– Quantas palavras tem de ter o texto? Quantas? – pergunta alguém acabado de chegar, pronto a arriscar a sorte.
E lá vamos, construído um texto após outro, permitindo que as 77 palavas nos entrem na pele e nos viciem. Mas, não se preocupem. É um vício bom!

Quita Miguel, 54 anos, Cascais

Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Só podemos agradecer

Bela iniciativa a Margarida teve e assim que dela tomamos conhecimento, viciadas nele ficamos.
Para quem, como eu, "mais pra lá do que pra cá", mexer com a cuca é preciso cada vez mais.  
Desafios assim  garantem uns bons tempinhos de neurônios funcionantes.
Hoje, por ser o  número 77, Margarida foi "boazinha".  Outros, bem difíceis e que quase fundem a cabeça.
Desejo continuar muito tempo a desafiar a cuca aqui.
Sinal de vida! Venham muitos desafios mais!

Chica, 65 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil 

Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

Na blogosfera

Foi através de uma amiga da blogosfera que aqui vim parar, a este cantinho onde são precisas 77 palavras. Comecei timidamente, sem saber muito bem o que escrever. Achava complicado fazer pequenos textos, mas aos poucos fui escrevendo e fiquei viciada. Nem sempre tenho muito tempo, mas lá vou conseguindo colaborar e estou sempre na expectativa do que a Margarida vai inventar. Por aqui penso ficar e com amizade deixo um abraço para quem por aqui passar.

Sissi, 39 anos, Vila Real
Desafio nº 77 – texto sobre o blogue

O berbicacho

Já não sabia que fazer.
Começara bem mas depois percebeu a dificuldade que o esperava! 
Como teimoso que era continuaria tentando até conseguir. Não iria desistir depois de tanto trabalho.
Repentinamente começou a chover.
Decidiu esperar, afinal depois da chuva vem o sol. Olhou a porta tentando perceber porque não conseguia!
Já o colocara de frente, de lado, depois deitou-o... Mas nada!
Desistir? Isso nunca! Nem que morresse tentando. Mas ia meter aquele bendito sofá na rua!!!


Carla Silva, 40 anos,  Barbacena, Elvas
(sem desafio)